Holanda fecha prisões por redução do crime mesmo com liberação de drogas

A situação da Holanda, comentada no Activist Post (clique para ver o artigo em inglês) é interessante apesar de previsível. Pretendem fechar oito presídios por falta de criminosos. Mesmo com as drogas liberadas os crimes não aumentam. A foto no artigo mostra um carro antigo com vários homens de terno portando armas. Qualquer pessoa sabe que se tratam de mafiosos, aqueles grupos que surgiram na época da proibição da bebida alcoólica. A legenda diz: “Lembram desta proibição [do álcool]?Pois continua não funcionando”.  Além disso, fazendo menção ao recente plebiscito na Califórnia, que decidiu pela permanência da proibição, eles comparam a população carcerária em relação a população total. A Califórnia possui duas vezes a população da Holanda mas quatorze vezes a carcerária. Finalizam a pergunta: Como as proibições de drogas estão mantendo as ruas seguras?

O fim da proibição das drogas é um assunto polêmico. Certa vez almocei com uma figura política da região de Belo Horizonte e durante a conversa entramos neste assunto. Comentei que eu era contra, levantei vários argumentos filtrando um pouco o que realmente acho – já entro em mais detalhes a seguir – para ver o que eu conseguia de informação nova. Na verdade eu procurava um argumento contra os meus, pois até hoje não encontrei motivos claros para essas leis. Me decepcionei pois a única coisa que escutei foi “é um assunto complicado”. É realmente complicado, mas está na hora de falar mais para repensar o assunto.

Drogados sempre teremos pois drogas viciam. Proibir cria alguns problemas como o alto preço do produto devido ao acesso difícil, o perigo dos traficantes que se armam para poder vender, e os drogados que roubam as próprias casas para poder comprar o que o vício exige. Este último pode ser o motivador da violência. Além disso temos as verdadeiras peças por trás do jogo, aqueles que realmente faturam e que nunca aparecem. Esses não são presos.

Não é normal vermos nas notícias que campos gigantes de plantações de coca e maconha foram descobertas. Vemos apenas que toneladas dessas drogas são apreendidas nas favelas, lá com os peixes pequenos. Fernandinho Beira-Mar não planta, é só um representante comercial. Alguns outros peixes pequenos são descobertos nos trajetos. Dizer que elas vem dos países vizinhos é dizer que ninguém tem fronteira segura – nem os EUA com sua enorme cerca anti imigrante. Será que é por isso que o assunto para os políticos é complicado? Afinal, como que algo proibido, que faz girar muito capital sem nenhum desconto de imposto, consegue chegar da plantação ao consumidor em tão grande volume? Por todas essas dúvidas não sanadas é que eu preferia a liberação. Agora adicionei o argumento Holandês a meu favor.

Anúncios
Comments
20 Responses to “Holanda fecha prisões por redução do crime mesmo com liberação de drogas”
  1. Paulo disse:

    A quem mais interessa manter a população com medo de traficantes para poder pedir aumento de salários e de efetivos e se manter como categoria importante na sociedade, mesmo prestando um serviço deplorável ???

    • Cleiton Marcelo Sabin disse:

      Se você fez esse comentário infeliz se referindo as polícias civis e militares,e melhor rever os conceitos,centenas de militares também morrem em confrontos com traficantes, eles também tem suas famílias com medo.Saem de suas casas e não sabem se voltam.Se você falar que são corruptos, posso dizer que infelizmente existe essa possibilidade,assim como em outras areas,professores ,políticos,juristas. condenar uma instituição inteira, por meia dúzia de “porcos fardados”que se apoderam e se promovem,devido a desgraça alheia e ingenuidade…

      • Cleiton, concordo com a melhora da qualidade da polícia. Mas que hoje representam sim uma grande massa corrupta isso é verdade. Não é exclusividade do Brasil. Em Nova York o crime mandava nos anos 70. Um certo prefeito lá acordou e decidiu chutar a todos os policiais que tinham alguma suspeita. Resultado foi crime quase zero. Tem que ter mais que vontade de ver coisas melhores para fazer isso por aqui. Realmente existem corruptos em várias classes, juristas são um grande exemplo com várias notícias diárias. Pra conhecer basta ler um pouco dos depoimentos dos trabalhos do Delegado Protogenes pra saber o tamanho da podridão.
        Agora te pergunto… te dei um exemplo de corrupção na polícia, com os juristas… mas professor meu caro, vais ter que patinar pra achar. E não servem casos isolados, tem que ser corrupção em grupo como no meu exemplo.
        Vale lembrar aqui que no Brasil quem tem voz pública é a polícia. Se ela te abordar na rua e dizer que tu estava vendendo drogas ela pode fazer. Se for mentira pra justiça interessa pouco pois tu vais ter que provar. Existem países que concedem voz pública a professores. Nem precisamos comentar sobre a qualidade de vida nestes né?
        De qualquer forma não dá para generalizar. Existem policiais bons, delegados bons, e juizes bons. Assim como professores ruins!
        Só que oq tentei mostrar foi que os interessados na proibição das drogas desfilam lá em Jurere Internacional de carro esportivo de luxo com o povo todo babando e colocando esses como gente importante. Valores distorcidos!

    • Eu acho que a polícia realmente ganha pouco. Precisamos aumentar salario deles pra melhorar o nível. Mas aqui onde falta gente pra vaga qualificada e sobra pra desqualificada não adianta abrir mais um buraco. Falta escola pra qualificar e preencher o que interessa. Só que acho também que policia (principalmente a corrupta) é peixe pequeno também. A polícia não planta droga!

  2. João Bahia disse:

    Para lidar com o problema das drogas, maconha inclusive, é preciso razão e honestidade. Algumas pessoas se arvoram no direito de determinar o que outras podem ou não fazer, no conhecido processo de impor um comportamento. O que faz uma pessoa pensar que tem o direito de julgar certo ou errado o fato de alguém fumar ou não maconha ou cheirar cocaína, aplicar LSD, tomar ecstasy, etc.? Cada um faz o que quiser da sua vida. Cabe a todos contribuir com o processo de educação que mostre os danos que determinados comportamentos podem acarretar, mas não impor uma regra. Que sejam punidos os excessos na forma da lei. A discussão em torno da liberação da maconha, então, revela um absurdo. Sem querer entrar em detalhes, já está mais do que provado que a maconha faz muito menos mal do que o cigarro e o álcool (em alguns países a maconha é usada de forma terapêutica, em tratamentos médicos…)… então porque as pessoas podem fumar cigarros e beber, mas não podem fumar maconha? A razão responderia essas perguntas com muita facilidade. Mas o problema vai além: é preciso honestidade. Com ou sem proibição, as pessoas usam as drogas, e cria-se o tráfico, que é motivação importante para a indústria de segurança. Trilhões são gastos em nome dessa “segurança”. Pessoas tem que trabalhar milhões de horas para sustentar essa indústria, que até hoje não coibiu um milímetro sequer do uso das drogas… tivéssemos focado esse esforço na educação, teríamos resultados muitíssimos melhores… mas os desonestos não querem saber de educação, querem se locupletar através desse jogo pernicioso de proibir e criar estrutura para manter a proibição. Eles próprios criam o terrorismo e depois alertam o mundo sobre a necessidade de uma estrutura de defesa (oferecida por eles). A proibição das drogas não é razoável nem honesta. Ao longo dos últimos anos, a guerra às drogas teve como resultados concretos o enriquecimento de uma parcela da população, o fortalecimento do narcotráfico e a marginalização de pessoas. Em meio a tudo isso, muita gente, normalmente honesta, não consegue encarar de forma racional as variáveis envolvidas em questões como drogas, aborto, liberdade sexual, etc. Não pensam, apenas vociferam. Reagem com base na repressão que elas próprias sofreram. Falam em proteger os outros, como as crianças ou as famílias, mas na verdade vivem com medo ou inveja… e tentam perpetuar as relações que pautaram a própria vida… ou seja, estamos falando de preconceito puro… egoístas e mesquinhas, essas pessoas são a base das injustiças que encontramos por aí…

  3. Lorena disse:

    Achei rídiculo a frase “[…] vivem com medo ou inveja […]”
    Medo, de que? Sim, MEDO de perder seus parentes que se destroem por conta do uso das drogas.
    inveja, de que? Dessa mesma destruição, de um bando de vagabundos que gastam dinheiro na compra das drogas? Que roubam suas próprias familias, pra conseguir comprar drogas?

    O Brasil é díferente da Holanda, o nível de vida lá é outro, o nível de educação é outro.
    Sendo o 9° no mundo e o Brasil? sendo o 88°

    Como o colega falou:
    “[…]os interessados na proibição das drogas desfilam lá em Jurere Internacional de carro esportivo de luxo […]”

    Tenho casos na família de suicidio relacionado ao uso das drogas
    Vejo parentes chegando em casa sem controles de si próprios
    Vejo vizinho cada vez mais acabados físicamente
    Vejo jovens que não vão a escola para poderem se drogar
    Já vi o consumo na sala de aula e a desmoralização de professores ao questionar

    Os jovens são o futuro do nosso país e são eles que mais consomem a droga.
    São poucos os que tem consciência de sua dependência e preferem ficar longe.
    Há drogas que viciam na primeira vez de uso.
    Essa dependência (sendo a droga liberada ou não) vai gerar um gasto para ser consumida
    pessoas vão ganhar dinheiro fazendo um mal físico e psicologico, levando o dependente a morte, são muito raros os casos de dependentes que conseguiram largar as drogas.
    Como as drogas e o cigarro (que também sou contra elas)

    Pode até ser um direito de escolha as pessoas quererem se drogar, mas ao invés de só defender o consumo dela, essas pessoas deveriam mostrar (e MUITO mais) o lado negativo que ela trás. Para que o potenciais “futuros usúarios” podem analisar e refletir em cima do assunto.
    Pessoas que apoiam a liberação no meu ver são iguais a políticos que só mostram o lado positivo, prometem coisas inalcançavéis só para conseguir votos. Não são honestos nem consigo mesmo.

    • Lorena, sugiro olhar para o contexto. Normalmente o ser humano tentando raciocinar sob condições de emoção forte não faz julgamento correto! Na verdade ele se cega aos fatos como forma de aliviar a realidade. Não é por ai!
      Muito bonito o seu texto, mas repetitivo. Teus comentários são o mesmo daquela turma que desfila com camiseta branca pedindo paz! É repetitivo e sem conteúdo. Tu não precisa me dizer que vê vizinho se acabando, que vê parente se matando… basta dizer que as drogas causam problemas! Isso até os consumidores sabem. Este fato resume todos os seus comentários.
      Agora veja bem meus argumentos:
      1) Tu me lista um monte de gente que se droga mas as drogas são proibidas! Elas SÃO proibidas! Isso não impediu nenhum desses teus conhecidos a consumir!! E pior, eles roubam porque o esquema por trás da logística é grande e arriscado e portanto MUITO CARO!
      2) Os estados defendem quem planta, não legalizam pra não cobrar imposto sobre o consumo (sabia que o imposto da gasolina é maior que o do cigarro??) e para poder ganhar um dinheiro paralelamente sobre o tráfico. Como resultado gastam bilhões em segurança e esquemas para invadir favelas! Mas não gastam 1 centavo a mais com tua saúde, imagina com a saúde de um drogado!!! Tu deverias estar nas ruas pedindo a legalização para melhorar nossa segurança (e reduzir as milícias) e forçar o governo a gastar esse valor em SAÚDE!! Inclusive dos drogados! Nisso tu terás meu total apoio até porque o problema do drogado não é simplesmente a droga. Normalmente ele possui um quadro de depressão que aumenta o alívio durante o consumo, e consequentemente cria o vício. Ninguém inicia o uso sem nenhuma razão, portanto é sempre um caso de saúde pública.
      3) Pior de tudo, é que podes estar fazendo justamente o papel que esta turma de corrupto deseja! O porta voz da proibição!!
      4) Qual o fundamento da liberação da bebida? Também é droga, mas imagine sermos proibidos de beber um vinho!! Qual médico é capaz de dizer que vinho faz mal? Lá onde se consome maconha legalmente, médico também usa para tratamento de vários problemas!! Quem exagera com as drogas sendo legais exagera também com elas sendo ilegais! Como falei, o drogado sabe do mal, mas não larga (ou um dia decide começar nelas…)!
      5) Mostrar o lado negativo não é de fato o meu objetivo aqui! Para isso existem pessoas da área para tratar do assunto, eu estou aqui para falar do problema de segurança pública e da hipocrisia da proibição. São coisas completamente diferentes.

  4. Tico disse:

    Estudos estatísticos mostram que 92% dos casos registrados de violência doméstica estão ligados ao uso do álcool. Em relação à violência sexual, estima-se que o alcoolismo estar envolvido em 50% dos casos. Isso é uma das coisas que uma droga liberada causa, além disso existem os acidentes de trânsito.

  5. Estudo estatistico de qual orgao? Qual foi a amostragem? Qual pais? Qual o nivel de educacao?
    Alem disso, dizer q esses numeros existem pq nao temos proibicao eh um absurdo. Esqueceu da mafia? Quantos registros a mais tinhamos com a proibição do alcool devido a violência da máfia? Só é possível conversar conhecendo este número também.
    Precisamos juntar ainda os mortos por trafico nessa conta, e sinceramente, se o trafico for 90 mortes para 10 mortes da violencia familiar, vou preferir gastar esse dinheiro de armamento e combate ao trafico c/ escola e saude.
    Precisamos parar de dormir nas aulas de matematica.

  6. Neri Merlo disse:

    Se criarmos campos de exterminio para drogados em crak, teriamos que matar 3 milhões de Brasileiros, como fariamos isso?

    • Boa observação. Na verdade o que fazemos hoje é apontar o dedo chamando-os de bandidos e ao mesmo tempo fingimos que são coitados. É estranho e no mínimo uma posição hipócrita que cega para a verdadeira solução.

      • diogo disse:

        José Paulo , eu queria que voce listasse , do seu ponto de vista , as vantagens da legalização caso seja realmente a favor .

        • Vantagens 1) drogado eh doente e nao criminoso. Nao precisa ir na favela buscar o que eh ilegal ou se misturar com bandidos. Vai na lojinha autorizada da esquina. 2) cobramos imposto. Deveria ser por bom senso maior que o imposto de livro. 3) gastamos o dinheiro do estado que vai hoje pro crime em tratamento de dependente. Vai sobrar ate para tratar outras doencas ou gastar em educacao o que sjuda na reducao do consumo. 4) acesso facil reduz o interesse. Eh o caso da holanda. Se consumirah menos porque nao tem graca nenhuma. 5) esse eh um ponto importante que eh chamar a populacao de madura. Ja temos leis demais para tratar dos crimes consequencia do consumo porque ter lei ainda para proibir? Diz a lenda que eh somente para reduzir consumo. Nao ta funcionando! Deixar a escolha do uso para as pessoas e punir quem fizer mal uso soa muito melhor que proibir qquer um de usar a qualquer custo. Eh mais evoluido mais maduro.

          • jacinta disse:

            entao e tem alguma ideia para diminuir a percentagem de toxicodependentes?

            • Nao eh uma ideia, eh aimplesmente a coisa correta a fazer. Atacar a causa raiz que eh puramente psicologica e comportamental (depressao) com clinicas. Investir nessa medicina ao invez de investir em armas e policia. Sai bem mais barato por sinal.

        • Posso ainda colocar a 6) questao do uso medicinal da maconha que ja ta obrigando as leis a serem flexiveis em relacao a uma droga que eh remedio em certas situacoes. Nao eh por nada q remedios tambem sao chamados de drogas.

        • Agora liste pra mim as vantagens de continuar proibindo 🙂

          • diogo disse:

            Eu concordo com seu ponto de vista .Queria observar sua analise .Concordo plenamente com a ideia de que o usuário não é um criminoso . NO Brasil , com uma recente lei de drogas, os usuários que portam ou usam “pequenas” quantidades não são considerados criminosos ( um bom começo) , o que por vezes abre brechas para interpretações maleáveis , como não conseguir diferenciar usuário de traficante .Ela torna-se pior do que a lei anterior , pois dificulta uma ação contra um dos principais pilares do mercado das drogas .É preciso inibir sua ação.Para suprimi-lo , é necessário legalizar a comercialização a fim de que os impostos dificultem o consumo e obtenham recursos para tratar os viciados e gastar em educação, o que é muito importante .
            O Pior é que a droga esta em toda parte , desde as grandes cidades às pequenas cidades do interior , o que mostra que as políticas públicas não surtem efeitos .Não está funcionando! A proibição é uma barreira para que o próprio usuário possa buscar tratamento . Por isso , o caminho certo seria regularizar e descriminalizar ( sem entrar em detalhes de como ambas irão acontecer ) .Por fim , tomemos Portugal , em partes , como exemplo e vamos em frente .

            • diogo disse:

              *…. contra um dos principais pilares do mercado de drogas ( dois pontos ) O traficante …..
              Não consegui colocar os dois pontos num teclado que pouco uso ….

Trackbacks
Check out what others are saying...
  1. […] Holanda fecha prisões por redução do crime mesmo com liberação de drogas […]



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • Political Blogs - BlogCatalog Blog Directory

    Adicionar aos Favoritos BlogBlogs

%d blogueiros gostam disto: