Comparativo gravidez Brasil e França. A política do trouxa.

No blog “Pedalando em Paris” a blogueira comenta sobre sua experiencia de ter um filho na França. Para quem é defensor do governo Lula e acredita que ele faz de tudo que o país precisa, aí vai uma prova de que estamos longe da Europa pós crise. Para os que pensam que sistemas comunistas são a solução para todos os problemas sociais, mesmo que os exemplos mundo afora sejam da mais pura corrupção, ai está um exemplo de socialismo que realmente trata de pessoas e não de poderes e que não abandona o mercado (capitalismo).

O benefício é de toda a população. O imposto apesar de mais alto resulta em coisas úteis. Pessoas bem formadas e bem tratadas desde o primeiro dia. O mesmo vale para as mães e pais. Receita perfeita para um país descente. E não podemos esquecer de que a propaganda da mídia que coloca as revoltas nestes países como um caos social são tendenciosas. Aos olhos de um país lerdo, pacífico e satisfeito, qualquer revolta cheira a caos social. Não é isso. É simplesmente uma luta pela manutenção dos benefícios sociais. Deveríamos aprender, mas aprender é ruim e dói a cabeça.

A desculpa de que é um país de velhos e a necessidade do incentivo à gravidez leva a estes benefícios não vale. São cuidados com os cidadãos no mais limpo socialismo e no país mais socialista da Europa. Esse é o tipo de impressão que nações sem revoltas e satisfeito com seus benefícios populistas têm.

Também não se trata de governos de direita e esquerda. Se trata da França e dos françeses.

Para quem não quiser ler o post completo vou resumir em tópicos os principais benefícios.

  • O plano de saúde que a empresa fornece é complementar ao valor não coberto pelo governo. Portanto mesmo fazendo o parto ou outro tratamento em hospital particular, o custo é zero.
  • O planejamento e a escolha do hospital acontece no momento que se descobre a gravidez.
  • Acompanhamento uma vez por mês. Se…
  • Se estiver tudo certo com a gravidez. Se for considerada uma gravidez de risco, o acompanhamento é feito por por doulas (enfermeira especialista em obstetrícia). Elas atendem no domicílio quantas vezes for necessário e tudo é coberto pelo governo. E o atendimento vai até depois do nascimento.
  • A criança nasce e não vai para berçário. Esta é uma escolha da mãe.
  • Estadia de 5 dias após o parto normal. Objetivo é acompanhamento psicológico e fisiológico da mãe e da criança.
  • Direito à fisioterapia para reeducação do períneo.
  • Programa PMI. É possível fazer acompanhamentos de todos os tipos com a criança e a mãe após o nascimento.

Agora imaginemos estes procedimentos todos aqui no Brasil pelo SUS ou pelos planos de saúde fajutos dos quais pagamos uma fortuna. Ou então em hospitais particulares. O pão e o circo são nossas únicas garantias. E a garantia do governo é o VOTO!

Anúncios
Comments
8 Responses to “Comparativo gravidez Brasil e França. A política do trouxa.”
  1. Carol Remor disse:

    Ahh =) Deixando o assunto político um pouco de lado… que linda essa pessoa na foto! hó hó hó

    BjO

  2. Adélia disse:

    José Paulo, obrigada pela referencia! E’ bem isso que vc falou: aqui pagamos impostos altos, mas pelo menos temos o retorno com serviços de qualidade. Ja’ no Brasil, a gente bem sabe para onde vai o imposto que a gente paga….. sera’ que algum dia isso vai mudar?

    • É Adélia, sabe porque não vai mudar? Porque aqui o povo ve o frances quebrar paris inteira e acha que é uma merda morar ai. Não entendem que se o governo (de direita ou esquerda, não importa) tirar um, e apenas o mais simples desses benefícios, eles vão a rua e destroem tudo enquanto o governo não voltar atras. Além disso temos o pão e circo operando de forma a dar inveja nos imperadores da Roma antiga.

      • Scan disse:

        Sugiro que o sr. e esta leitora, Adélia, leiam sobre a Terceira República Francesa que nem está, temporalmente, tão longe assim.
        Talvez conhecendo UM POUCO da história da França, possam ter uma visão mais abrangente antes de dizerem asneiras de forma tão gritante, pois fica até chato demonstrarem tão crassa ignorância em público.
        A sra. Adélia, qua aparentemente vive na França, tem por obrigação conhecer-lhe a história recente para não pagar esses micos com perguntas tolas como “Será que isso vai mudar?”, típicas de crianças de 12 anos desusadamente estúpidas.
        Estude, minha sra., pare um pouco de pedalar e estude.
        Vamos ver se a democracia do blog publicará o comentário, como faz o Edu Guimarães onde o sr. posta…

        • 1) Aqui publico tudo… se tu escrever bosta ou merda, vai tudo pro ar igual. Se tu ofender alguem, demonstrar racismo e passar dos limites também publico até que receba ordem judicial ou pedido pessoal para retirar. Se passar demais dos limites bloqueio e mando direto pra policia. Dai tambem vais responder conforme as leis do pais (se elas funcionam eh outro problema). Infelizmente não existe opção para publicar automaticamente todos os comentarios, mas agora que aprovei o primeiro pro teu email, nao preciso mais aprovar os proximos.
          2) Nem sei de onde tu tirou que eu poderia filtrar! Teu comentário é altamente publicável. Meus leitores entenderam a diferenca entre nascer aqui e na França e agora vão entender que tem gente q não engolem que essas diferenças existem. Mas elas existem. Tenho recebido filtro em blogs petralhas (extrema esquerda), nos outros nao tenho recebido nenhum filtro. Nem no extr. direita do Reinaldo Azevedo recebo filtro. Mas a petralhada… ah, essa adora um filtro!
          3) Tu entra aqui com ar de arrogancia falando que ninguem sabe o que é a terceira republica francesa como se isso fosse mudar alguma coisa. Falou falou e nao explicou o q este fato da historia q eu conhecia bem por cima (conheci pouco nas leituras sobre a segunda guerra na França) tem a ver com a “experiencia pessoal” que a blogueira Adelia viveu lá. Caro, ela viveu isso… será que é possível entender que ela, que tem mãe, parente, prima, tia no Brasil e que têm filhos no Brasil sabe agora a diferença entre nascer aqui e nascer la? Ela não ta inventando historia, é uma experiencia vivida!
          4) “Micos”, “perguntas de crianca de 12 anos”, “dizer asneiras” e “crassa ignorancia em publico” (essa ultima é a mais forte)?? Isso tem uma interpretação! Teu medo e tua raiva de ver que o PT q tu tanto defende nao fez quase nada, afinal, nascer aqui pelo SUS eh e será um inferno por longa data. Mesmo que a carga tributária seja absurda de alta. A forma de abordagem já demonstra teu verdadeiro sentimento quando ver uma comparação desta com verdadeiro socialismo lá de fora, que não é esse nosso socialismo populista. Ninguem tem obrigação de conhecer a mega historia da França pra entender o porque do belo sistema de saude exemplo no mundo e tu não tem o direito de tratar com estes termos uma pessoa que não conheca a historia da França. Perdesse a change de ser gentil e explicar qual é o ponto de forma generosa. Na verdade eu não espero generosidade, nem gentileza e nem respeito de pessoas com teu perfil.
           

Trackbacks
Check out what others are saying...
  1. […] proposta do Senador Cristóvam trada do que falei no meu post anterior comparando nossa saúde com a da França. É um homem de boas intenções e discute mais que um […]

  2. […] Comparativo gravidez Brasil e França. A política do trouxa. « Nova … Tweet This […]

  3. […] more here: Comparativo gravidez Brasil e França. A política do trouxa. « Nova … Tweet This […]



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • Political Blogs - BlogCatalog Blog Directory

    Adicionar aos Favoritos BlogBlogs

%d blogueiros gostam disto: